RSS

Arquivo da tag: grão

Por que tomamos cafés fajutos?

Faz tempo, já, me faço essa pergunta. A contradição é muito grande: somos os maiores produtores do mundo, temos variedade de ambientes propícios para o cultivo, o que nos faz ter diversas qualidades de grãos à nossa disposição.

Pensar que se trata apenas do velho chavão: o que é bom exportamos, o que é ruim fica para o mercado interno, não é suficiente para nos conformarmos com os cafés horrorosos que enchem nossas garrafas térmicas.

Por algumas vezes já escrevi sobre esse assunto aqui. Agora só o faço quando tenho novidades sobre o assunto! É o caso agora.
Estudando a história do café no Brasil e no mundo, constatei que há razões fortes para esse péssimo costume brasileiro. É claro, não se trata meramente um aspecto cultural. Não somos burros! Trata-se, na verdade, de um hábito arraigado, que já não corresponde à nossa realidae.

Voltando ao auge da cafeicultura no Brasil, quando foi essa a principal atividade exportadora do país, destacava-se o destino do café brasileiro: os Estados Unidos. 70% do café consumido no mundo era brasileiro. A quase totalidade dessa quantidade ia para o mercado norte-americano. E como era o consumo do café nesse país? Eis a chave da questão: os americanos sempre foram incentivados a consumir café em grandes doses, muitas vezes ao dia. Era o verdadeiro ascendente do “chafé” que os vemos colocar no porta-copos de seus mastodônticos carros, hoje.
Em contraste, o Europeu, como agora,tomava café em diminutas doses, em suntuosas cafeterias espalhadas pelas maiores cidades.
O norte-americano tomava (e toma) café para ficar desperto. Pouco importava o gosto da bebida! O Europeu, pela degustação e pelo ritual social. Estes, importavam grãos de outros lugares do mundo, como a Colômbia e o Ceilão.

A estrutura agrária do Brasil favorecia a grande monocultura. Produção em alta escala era nosso forte. Já o café mais suave, saboroso e de alta qualidade era melhor produzido nas pequenas propriedades desses outros paíse (incapazes de produzir sequer uma pequena parcela do que produzia o Brasil).
Atualmente, nosso café parece uma mistura dos cafés americano com o europeu.Tomamos doses maiores que o “curto” europeu, mas não gostamos do “chafé” americano. No que toca à qualidade da bebida, entretanto, me parece que estamos sozinhos. Nenhum dos grandes consumidores a que nos referimos consome tanto café ruim como nós!

Temos nossos hábitos e não precisamos aderir aos estrangeiros. Mas já é hora de as grandes marcas melhorarem a qualidade do que vendem. Não podemos ser marionetes do marketing de massas!
As gigantes do café precisam encontrar resistência para vender cafés de baixa quialidade como se fossem a fresca bebida matinal, com fumacinha saindo da caneca de famílias felizes!
Mas para isso, o público precisa saber o que é bom e o que é ruim. E sem achar que coisa boa é produto de luxo!

 
 

Tags: , , , , , ,

Espresso feito em casa

Como sai o espresso perfeito - para alcançá-lo, só a experiência!

Bem difícil fazer um bom expresso em casa! Mas nada impossível!
É preciso muita prática, boa matéria prima e bom equipamento. Mas é possível fazer um expresso bem saboroso mesmo sem a parte cara do negócio: a boa máquina! A compensação deverá vir em forma de bom senso!
Indispensáveis:
1. Bom grão
2.Máquina de espresso, ainda que amadora (serve uma Britânia, que custa em torno de 300 reais)
3.Moinho, ainda que amador (serve um Cadence, que custa não mais de 60 reais)
4. Comportamento exploratório

A moagem deve ficar adequada (nao muito fina, não muito grossa), o que se dá quando o café sai suavemente fuido. Nâo pode sair em forma de lentas gostas escuras, nem escorrer como uma água de torneira!
É simples a idéia: a água deve passar pelo pó de maneira a extrair-lhe o sabor, o que resulta na estimulante e saborosa bebiba. Então, isso não pode acontecer rápido demais, pois a bebida ficará aguada. Se a passagem d’água demorar demais, é porque o pó, muito fino, a terá retido, como se fosse uma farinha de trigo. A água tem de passar, não ser absorvida! Daí, o resultado será um café frio, amargo, escuro e agressivo. Seu destino mais provável será a pia!
Você terá obtido um bom expresso quando: apresentar um creme firme (não se dissolve quando se mistura o açúcar) e claro, ou bege. Se estiver escuro, ou o grão era excessivamente torrado, ou a água passou muito lentamente pelo pó.

Dicas de bons grãos:
1. Café Havanna (a que vende alfajores), pois é da Fazenda Pessegueiro
2. Cafés do Atelier do Café (loja virual de Campinas – excelente atendimento, preços justos, rapidez e grande variedade), a depender do gosto de cada um. Todos são de boa qualidade.
3. Café do Centro (é preciso ir até o Mercado Municipal de SP para comprá-lo)

Onde ver mais: http://cafedocentro.com.br/v2/expressos.htm

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de outubro de 2010 em Preparo

 

Tags: , , , , , ,

 
Brasilagro

Brasil Agribusiness News - Brasil Agronegócios

Hearts and Minds

O que não muda é que tudo muda.

Tom Fernandes

"‎Quando eu era menino, todos me chamavam de mentiroso. Agora eu sou adulto, e me chamam de escritor." Isaac Bashevis Singer

Kelly Cristina

A única fonte de felicidade está dentro de nós mesmos, e deve ser repartida. Repartir as alegrias é como espalhar perfume sobre os outros: sempre algumas gotas acabam caindo sobre nós mesmos. Sou apaixonada pela minha familia e pelo meu trabalho, sei que a cada dia eu tenho a oportunidade de aprender um pouco mais.

Seu Dinheiro na Internet

Ganhe Dinheiro na Internet sem vender sua alma.

O Mochileiro

Mochila, cultura e experiência.

IMPRESSIONARE (21)99584-4658 (21)3627-5431

Orçamentos: contato.impressionare@gmail.com

Paulo Junior's Blog

"As dificuldades devem ser usadas para crescer, não para desencorajar. O espírito humano cresce mais forte no conflito.” (William Ellery Channing)

CB - CARLOS BESSA ASSESSORIA E VENDAS

vendas; setor moveleiro; mobiliário; treinamento; gestão de vendas; representação

jsazevedoja

Este site WordPress.com é supimpa

Uma dose

Só para garantir.

Nádia Jung

Porque às vezes as palavras têm de dar lugar ao silêncio, porque às vezes só um gesto inconsciente pode provocar a captura do inexplicável, porque o olho sabe antes que a mente, porque a fotografia é necessária na minha vida ...

Café Etrusca

Café, café de especialidad, café gourmet, insumos para cafetería, maquinaria para cafeterías, mobiliario para cafeterías, barista champ

Desenvolvendo ABAP/4

Just another WordPress.com weblog

tmenegatti

Thiago Menegatti

Dedo-no-zoio

Por que o mundo é dos espertos!

%d blogueiros gostam disto: