RSS

Arquivo da tag: corante caramelo

Cafezinho do Mallandro

Ainda é bem baixa a qualidade média dos cafés a venda no varejo brasileiro, o que é lamentável, pois produzimos os melhores cafés do mundo. Nós, consumidores caseiros, ainda podemos facilmente encontrar o verdadeiro “cafezinho do Mallandro” (só fazendo uma alusão às brincadeiras do famigerado apresentador) embalado em simpáticas almofadas! Vejamos o que a ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) divulga estar fazendo contra isso; ela anuncia que faz uma verdadeira cruzada contra a fraude do café. E é o que se espera dela, já que seu selo de qualidade deve ser uma garantia ao consumidor.
Eu mesmo já mencionei em mais de um post, que ao comprar cafés de almofada a preço de banana nanica de fim de feira, é quase certo que se está coando diversas “porcarias” ao jogar água sobre o pó preto chamado de café por algumas marcas. Pois bem, a ABIC diz se esforçar em minimizar esse tipo de fraude, por meio de testes e fiscalização. Segundo a associação, de 1989 para cá, a porcentagem de marcas que burlavam a legislação caiu de 30% para 1%. Mas acredito que esses números devam ser relativizados. Primeiro, porque mesmo com a fiscalização, há sempre os que escapam. Depois, porque há cafés que sequer carregam o selo da ABIC.
Agora vamos a algumas das impurezas encontradas em alguns cafés pela própria ABIC, ao longo de 18 anos de ação: palha de café, milho, cevada e melaço. Acrescento o que já vi em outras matérias de jornal, ao longo de 5 anos de pesquisa: pó de tijolo, terra, borra de café, palha de milho e corante caramelo (aumenta o amargor). Fora a usual torra fortíssima, que deixa o café mais amargo e escuro, passando a impressão de que o pó “rende mais”, para quem conhece apenas cafés fajutos, como boa parte dos consumidores brasileiros (por conta da histórica falta de boas opções no mercado).
Segundo a ABIC, o aumento da oferta de produtos adulterados e impuros está diretamente relacionado à guerra comercial, travada por meio de preços muito baixos ao consumidor. Um vice-diretor de qualidade da entidade ressalta que “preço baixo não se consegue por milagre, mas sim com compra de cafés muito abaixo do nível de qualidade, e portanto, com alto índice de impurezas, ou com a prática de fraudar o café, adicionando produtos mais baratos”.
Claro é, que, a depreciação dos preços do café não interesse à ABIC. Quanto mais valorizado for o produto, melhor para os produtores. Nada mais natural, então, que combata a guerra comercial. Mas o fato é que, para nós, que apreciamos o reanimador puro café, essas trapaças tampouco convém! Afinal, quem quer tomar caldo de palha de milho, tijolo e caramelo?
A ABIC argumenta que mantém uma coleta de cafés em diversos pontos de venda, afim de levá-los à análise. Com os resultados de laboratórios credenciados, pode denunciar fraudadores ou julgar algumas marcas inaptas a receber seu selo. Associados e não associados seriam objetos de avaliação constante.
Em futuros posts, voltarei a esse assunto – tentarei listar marcas famosas aprovadas e desaprovadas, mesmo sem ajuda da ABIC, que não divulga essa lista completa. Mas por ora, vale o bom-senso. Cafés excessivamente escuros e amargos, devem ser olhados com desconfiança, já que a torra excessiva pode ser usada para tentar mascarar a má qualidade do produto, e a adição de caramelo (corante). Fiquem atentos também ao excesso de adstringência, outro mal sinal.
Agora, para garantir o cafezinho sem “caldo”, só mesmo moendo os próprios grãos, ainda que não sejam arábica, ou comprando moídos na hora.
Fonte de consulta: http://www.abic.com.br/jcafe/jcafe_ed157_p33.pdf

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25 de novembro de 2010 em O café no Brasil

 

Tags: , , , , , ,

O café minimamente apreciável

torraO que é um bom café?
Haverá sempre especialistas de todos os assuntos! E mais: sempre prontos a dar respostas técnicas para todo tipo de perguntas.
É óbvio que os conhecimentos especializados são importantes. Mas será que nosso cotidiano precinde de tanta informação técnica, auto-propagada como “a” correta?
No dia-a-dia conta a maneira com que as informações técnicas podem ser incorporaradas à nossa experiência! Por isso vale tanto a pena trocar experiências!
Aqui está um espaço para isso! Vamos falar de sabores que cabem em nosso dia-a-dia!
O que pode haver de mais cotidiano que nosso cafezinho?
Eu, que não participo de concursos de café, também não saio tomando qualquer café por aí!
Acho até prazeroso pedir um pão na chapa com o famigerado café de coador da padaria da esquina! Desde que o sabor do café não esteja na pauta do momento!
O café mais difundido e usado no Brasil é aquele das almofadas, comprado no supermercado ao preço de 4 ou 5 reais o meio quilo. Quase todos são um só!
Esse café é como uma ração líquida! Trata-se de um pó composto pelos grãos mais fajutos dentre os produzidos. Mas o pior é sua manufatura: são excessivamente torrados e sofrem o acréscimo de uma série de porcarias como: palha de milho, pó, folhas e corante caramelo (acentua o amargor). Tudo com o intuito de aumentar o volume e mimetizar o sabor “forte”, popularmente tido como fator positivo. Tudo para diminuir custos e aumentar lucros. O mínimo necessário para vender e lucrar!
Mas o bom café precisa ser feito de grãos perfeitos, vindos da útima colina do cerrado capixaba?
Claro que não! Não para simples mortais de bom paladar!
Para poder ser bem apreciado, o café não deve sofrer interferências. O maior assassino do sabor do café é o “queimado”. O café excessivamente torrado se converte em parente da cinza vulcânica! Fica amargamente desagradável, causando uma sensação de adstringência agressiva.
É quando o gosto nos trai! Assim que engolimos a bebida, um sabor rebote nos faz contorcer a língua!
Então: o café deve ser clarinho, marrom avermelhado e vibrante! Nada de pó ou grãos pretos ou marrons escuros!
Então, para descartar a mais básica das avacalhações do café: olhe para os grãos ou para o pó. Se for marrom escuro, acinzentado, puxando para o negro, esqueça! Você terá apenas um estimulante do sistema nervoso!
Dica de mercado: café Três Corações de torra média. Entre os de almofadas, é dos únicos de torra média.
Primeiro que boa parte deles nada traz sobre a torra. Dentre os que nos permitem verificar esse importante fator, o Três Corações é o único oferecido em versão “torra média”.
Mas cuidado! Verifique a parte traseira da embalagem, pois essa marca também possui versões de torra forte, com o sabor assassinado!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 16 de outubro de 2010 em Saiba identificar bons cafés

 

Tags: , , , , , , ,

 
Brasilagro

Brasil Agribusiness News - Brasil Agronegócios

Hearts and Minds

O que não muda é que tudo muda.

Tom Fernandes

"‎Quando eu era menino, todos me chamavam de mentiroso. Agora eu sou adulto, e me chamam de escritor." Isaac Bashevis Singer

Kelly Cristina

A única fonte de felicidade está dentro de nós mesmos, e deve ser repartida. Repartir as alegrias é como espalhar perfume sobre os outros: sempre algumas gotas acabam caindo sobre nós mesmos. Sou apaixonada pela minha familia e pelo meu trabalho, sei que a cada dia eu tenho a oportunidade de aprender um pouco mais.

Seu Dinheiro na Internet

Ganhe Dinheiro na Internet sem vender sua alma.

O Mochileiro

Mochila, cultura e experiência.

IMPRESSIONARE (21)99584-4658 (21)3627-5431

Orçamentos: contato.impressionare@gmail.com

Paulo Junior's Blog

"As dificuldades devem ser usadas para crescer, não para desencorajar. O espírito humano cresce mais forte no conflito.” (William Ellery Channing)

CB - CARLOS BESSA ASSESSORIA E VENDAS

vendas; setor moveleiro; mobiliário; treinamento; gestão de vendas; representação

jsazevedoja

Este site WordPress.com é supimpa

Nádia Jung

Porque às vezes as palavras têm de dar lugar ao silêncio, porque às vezes só um gesto inconsciente pode provocar a captura do inexplicável, porque o olho sabe antes que a mente, porque a fotografia é necessária na minha vida ...

Café Etrusca

Café, café de especialidad, café gourmet, insumos para cafetería, maquinaria para cafeterías, mobiliario para cafeterías, barista champ

Desenvolvendo ABAP/4

Just another WordPress.com weblog

tmenegatti

Thiago Menegatti

Dedo-no-zoio

Por que o mundo é dos espertos!

Raspando o prato

Um lugar para quem gosta de comida!

%d blogueiros gostam disto: