RSS

Arquivo mensal: abril 2014

Link

Café e redução do diabetes tipo 2 – matéria do Estadão

O estudo foi feito pela universidade de Harvard e não tem como alvo a cafeína, mas sim o café em si.

 
2 Comentários

Publicado por em 28 de abril de 2014 em Cafés gourmet - marcas e opinião

 

Não há almoço grátis

A máxima americana reflete perfeitamente o que acontece quando tomamos café. Qualquer café, independentemente da qualidade, tem seu custo. E não falo do custo monetário do produto – refiro-me, sim, ao custo que a bebida acarreta ao nosso organismo.

O princípio ativo mais famoso e significativo do café é a cafeína, por suposto, e há uma infinidade de estudos acerca de seu efeito para nosso sistema nervoso. Muitos deles não são confiáveis, por serem desenvolvidos com recursos de partes interessadas no aumento do consumo do café. Estes, certamente apontarão as maravilhas de que o café é capaz.

Mas é fato que a cafeína tem um papel importante em nossas vidas. A vida moderna é altamente propícia à necessidade de ingestão de substâncias estimulantes do sistema nervoso, como é o caso dela. Afinal, precisamos produzir, em todos os campos da vida. Nada contra a cafeína – ela cumpre seu papel, Mas a que custo ?, isso é o difícil de dimensionar.

Poucos são aqueles que têm tempo e condições de estudar o tema cientificamente. Mesmo porque um estudo conclusivo do tema não é uma tarefa fácil, Mas qualquer um pode avaliar os efeitos que a cafeína causa a si mesmo. E com um pouco mais de curiosidade e gasto de energia, é possível investigar os efeitos sentidos por quem está à nossa volta.

Como efeitos positivos temos o aumento da concentração, para boa parte das pessoas, o adiamento da sensação de cansaço, a melhora na disposição geral, tudo com o consequente aumento da produtividade individual. Mas como efeitos negativos podemos pensar no cansaço súbido que se segue à fase de alerta maximizado. Chamo esse efeito de repique. Ele lembra muito uma forte onda do mar: quando chega, o nível da água sobre e um grande volume pode sobrepor o que estiver a sua frente. Porém, o repique da onda é uma grande força no sentido contrário, como se alguém nos puxasse o tapete com toda força. O café nos leva para o alto, mas depois puxa nosso tapete.

Há ainda, a perturbação do sono – muitos simplesmente não conseguem adormecer em menos de 10, ou 12 horas após tomar um café. E o pior – isso geralmente ocorre concomitantemente a uma sensação de enorme cansaço corporal. Trata-se de horas de baixa capacidade de concentração  – ou seja – horas improdutivas. E mesmo quando se consegue dormir, o sono é permeado por agitação. Dorme-se, mas não se descansa!

Por último, menciono o efeito da cafeína no sistema digestivo. A cafeína obviamente estimula a produção de suco gástrico, o que pode ser bem desagradável e ruim para a saúde, se, o indivíduo já tiver gastrite, sobretudo, se não estiverbem alimentado. Resumidamente falando, café é pesado para o estômago. É bem diferente de tomar um copo d’água.

Por todos esses motivos, sempre aponto os custos do consumo do café. Assim como sempre falo de seu alto potencial de causar prazer. O que concluir, então? Para mim, o que causa prazer, mas tem um custo, deve ser utilizado maximizando o prazer e minimizando o custo. No caso do café isso acontece quando se bebe um café de alta qualidade e nas melhores condições para isso.

Os cafés de alta qualidade são da variedade arábica e torra clara. São esses dois pré-requisitos. Uma torra média é aceitável, mas os custos do consumo da bebida aumentarão. Vale pesquisar – experimentar o máximo possível de cafés com essas duas características, até se achar aqueles que mais agradem.

As boas condições de consumo são: nunca com o estômago vazio. Sempre café fresco – recém feito, de preferência com grãos moídos na hora e bem acondicionados. Mesmo assim, não vale tomar um litro de café por dia! Duas, três, ou até quatro doses, podem ser bem processadas pelo organismo, apesar de gradativamente aumentar o efeito perturbador do sono.

Tomar aquele café “tradicional”, que ficou horas na garrafa térmica, é suicídio. O custo será descomunal e o prazer, se existir, será ínfimo diante do custo com que se arcará. Como máxima irrevogável, adoto a de que: se for para tomar café ruim, não tomo. Café ou é bom, ou não existe.

 
3 Comentários

Publicado por em 18 de abril de 2014 em Café e saúde

 

Tags: , , , , ,

 
Brasilagro

Brasil Agribusiness News - Brasil Agronegócios

Hearts and Minds

O que não muda é que tudo muda.

Tom Fernandes

"‎Quando eu era menino, todos me chamavam de mentiroso. Agora eu sou adulto, e me chamam de escritor." Isaac Bashevis Singer

Kelly Cristina

A única fonte de felicidade está dentro de nós mesmos, e deve ser repartida. Repartir as alegrias é como espalhar perfume sobre os outros: sempre algumas gotas acabam caindo sobre nós mesmos. Sou apaixonada pela minha familia e pelo meu trabalho, sei que a cada dia eu tenho a oportunidade de aprender um pouco mais.

Seu Dinheiro na Internet

Ganhe Dinheiro na Internet sem vender sua alma.

O Mochileiro

Mochila, cultura e experiência.

IMPRESSIONARE (21)99584-4658 (21)3627-5431

Orçamentos: contato.impressionare@gmail.com

Paulo Junior's Blog

"As dificuldades devem ser usadas para crescer, não para desencorajar. O espírito humano cresce mais forte no conflito.” (William Ellery Channing)

CB - CARLOS BESSA ASSESSORIA E VENDAS

vendas; setor moveleiro; mobiliário; treinamento; gestão de vendas; representação

jsazevedoja

Este site WordPress.com é supimpa

Uma dose

Só para garantir.

Nádia Jung

Porque às vezes as palavras têm de dar lugar ao silêncio, porque às vezes só um gesto inconsciente pode provocar a captura do inexplicável, porque o olho sabe antes que a mente, porque a fotografia é necessária na minha vida ...

Café Etrusca

Café, café de especialidad, café gourmet, insumos para cafetería, maquinaria para cafeterías, mobiliario para cafeterías, barista champ

Desenvolvendo ABAP/4

Just another WordPress.com weblog

tmenegatti

Thiago Menegatti

Dedo-no-zoio

Por que o mundo é dos espertos!

%d blogueiros gostam disto: