RSS

Arquivo mensal: dezembro 2010

Um café mexicano: marcante diferença

Há muito tempo sou curioso para experimentar cafés de outros países de tradição em sua produção. Já não ou muito adepto de cafés beneficiados e rotulados em países que dominam o negócio do café, como Alemanha e Itália. Finalmente consegui um bom pacote de café mexicano, graças a uma amiga daquele país. Após 4 meses da postagem (não me arrisco a atribuir uma causa para essa estranha demora), chegou em minha casa a bela embalagem, em tecido, de café Biomaya, produzido no estado de Chiapas, de forte presença maia.
Trata-se de um café cultivado em pequenas fazendas sustentáveis, de propriedade de comunidades indígenas (ou como eles as designam: campesinato indiano). As plantações ficam em meio a árvores, capazes de proporcionar sombra e colaborar para a preservação do meio ambiente. Não se trata, no entanto, de um cultivo artesanal. Pelo contrário, a visão empresarial está totalmente presente, mas com foco em sustentabilidade, além do óbvio fim lucrativo.
Agora, o mais interessante para quem aprecia a bebida: o gosto do café! Eu o descreveria como exótico, do ponto de vista de quem é acostumado ao café brasileiro. Não se parece com nenhum dos que já provei antes. Tem um gosto marcante, próximo ao de ameixas pretas, mas com um pouco de ferrugem. Sim, ferrugem! Não que eu já tenha comigo ferro oxidado, mas quem já não provou uma água com gosto de ferrugem? E o mais incrível: o sabor é muito bom! Ainda: a bebida é bem encorpada, com pouco creme, acidez forte e ligeiramente adocicada. Fiquei com aquela inigualável sensação de ter sentido um (bom) gosto inédito. Ainda que seja também, um pouco insólito. Sente-se claramente que aquele café vem de terras longínquas!
Acredito que o maior interesse em se escrever e ler sobre esse café, seja justamente a consciência da diferença. É pelo contraste que fortalecemos nossas identidades. Percebi que nosso café tem características únicas, em certa medida! Entretanto, para apreciar os gostos de nossa terra (literalmente), há de prezar pelas boas escolhas! Há se notar que há pouco tempo tivemos acesso “liberado” aos melhores cafés do Brasil. Ainda é necessário um esforço extra (se informar deliberadamente) para comprar cafés de boa qualidade, mas é recompensador!
Agradeço à minha amiga Jazmin Ayala, por me proporcionar essa saborosa experiência.
E para quem quiser conhecer um pouco do método de produção desse interessante café, basta conferir o site: http://cafebiomaya.com.mx/

 
1 comentário

Publicado por em 19 de dezembro de 2010 em Cafés estrangeiros

 

Tags: , , , , , , , , ,

Errata – “O pecado da fervura” – descoberto um erro conceitual

No post ” O pecado da fervura” foi dito que ferver a água fazia com que ela perdesse oxigênio. Ledo engano! Fui alertado recentemente de que essa informação não procede, apesar de ser veiculada com certa freqüência em sites e blogs sobre café. Minha pesquisa foi retificada pela engenheira química e leitora de apreciecafe, Simone Oppenheim.
A água estaria se decompondo, caso isso acontecesse, o que não é o caso. O que ocorre é, simplesmente, que a alta temperatura da água quando atinge a ebulição, acaba queimando o café, o que o deixa com gosto desagradável, mais amargo e adstringente. É como se estivéssemos danificando-o, como qualquer outro alimento que queimamos.
Fica valendo a dica: não ferver a água. E se fervê-la, deixar esfriar por pelo menos 3 minutos! Para o café, ela nunca deve estar acima de 90 graus. Para café, a fervura da água continua sendo um pecado capital!
Obrigado, Simone!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 11 de dezembro de 2010 em Cafés gourmet - marcas e opinião

 

Cafeteria Trevíolo – uma lembrança de Buenos Aires em São Paulo

A palavra “café” pode ter vários significados além da aprazível bebida. Sobretudo em lugares como Buenos Aires, onde o costume de se reunir em uma mesa para conversar e se confraternizar está enraizado na cultura local. Por isso mesmo, lá se encontra um café em cada esquina. E lá, café é mais esse lugar, esse saudável ritual cotidiano.
Em São Paulo, muito se consome café, a bebida, como estimulante para a árdua e agitada rotina de trabalho. Aqui se gasta energia em trânsito e longas filas para tudo. Pouco ou nenhum tempo sobra para o ritual do café. Aqui se pede um café no balcão, para tomá-lo e sair correndo. É raro até quem tenha tempo de esperar por um espresso bem tirado.
Talvez por isso não se encontrem aqui muitos estabelecimentos como os bonairenses, os cafés de que falamos. Mas na semana passada descobri que resta ainda mais uma esperança! Ela fica na zona oeste, mais precisamente, na Avenida Sumaré. É o Café Trevíolo (nº1200, com funcionamento de segunda à sábado, das 10:00 às 20:00 horas).
Lugar extremamente agradável, espaçoso e com uma rara diversidade de cafés à disposição dos apreciadores. Há uma carta de cafés, com blends de origem nas principais regiões produtoras de café de São Paulo e Sul de Minas. Há também grande variedade de bebidas derivadas e outras. Servem, ainda, almoço e diversos tipos de sobremesa.
Como pontos positivos, o ambiente agradável, o serviço, a diversidade, e até mesmo os preços. Mesmo o que parece ser caro, acaba não sendo, já que as porções são bem generosas (mais uma lembrança de Buenos Aires!). Não deixe de pedir um tostado para ter uma experiência bem porteña.
Há ainda algumas opções que considero sensacionais: café da manhã e café da tarde (ainda mais raro)! Vem de tudo, e com espresso duplo para coroar! E a preço justo, servido com todos os apetrechos!
Como pontos negativos, a parte dos fundos, com poltronas, tem seu conforto atrapalhado por uma ruidosa cozinha, que fica logo atrás. Ainda, o espresso algumas vezes vem um pouco mais frio do que deveria. Deverá haver também, quem não goste de pagar 5 reais para estacionar. Não acho muito problemático, pois é possível parar na rua ao lado, com tranquilidade, caso não se goste de serviço de manobristas. Por último, o horário de funcionamento é um pouco restrito, sobretudo por não funcionar aos domingos, mas também por abrir meio tarde para um café da manhã.
Para fechar com chave de ouro, você ainda poderá comprar café moído para suas necessidades ou em grãos. Basta escolher qual mais agradou! Vale a pena conferir! Não deixe de dispensar uma atenção à lojinha (foto), onde se encontram produtos relacionados à café.
Para ver outras cafeterias da marca (outras em São Paulo, mas também no Paraná e Santa Catarina), acesse: http://www.treviolo.com.br/Cafeteria/

 
1 comentário

Publicado por em 11 de dezembro de 2010 em Cafeterias

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

 
Brasilagro

Brasil Agribusiness News - Brasil Agronegócios

Hearts and Minds

O que não muda é que tudo muda.

Tom Fernandes

"‎Quando eu era menino, todos me chamavam de mentiroso. Agora eu sou adulto, e me chamam de escritor." Isaac Bashevis Singer

Kelly Cristina

A única fonte de felicidade está dentro de nós mesmos, e deve ser repartida. Repartir as alegrias é como espalhar perfume sobre os outros: sempre algumas gotas acabam caindo sobre nós mesmos. Sou apaixonada pela minha familia e pelo meu trabalho, sei que a cada dia eu tenho a oportunidade de aprender um pouco mais.

Seu Dinheiro na Internet

Ganhe Dinheiro na Internet sem vender sua alma.

O Mochileiro

Mochila, cultura e experiência.

IMPRESSIONARE (21)99584-4658 (21)3627-5431

Orçamentos: contato.impressionare@gmail.com

Paulo Junior's Blog

"As dificuldades devem ser usadas para crescer, não para desencorajar. O espírito humano cresce mais forte no conflito.” (William Ellery Channing)

CB - CARLOS BESSA ASSESSORIA E VENDAS

vendas; setor moveleiro; mobiliário; treinamento; gestão de vendas; representação

jsazevedoja

Este site WordPress.com é supimpa

Nádia Jung

Porque às vezes as palavras têm de dar lugar ao silêncio, porque às vezes só um gesto inconsciente pode provocar a captura do inexplicável, porque o olho sabe antes que a mente, porque a fotografia é necessária na minha vida ...

Café Etrusca

Café, café de especialidad, café gourmet, insumos para cafetería, maquinaria para cafeterías, mobiliario para cafeterías, barista champ

Desenvolvendo ABAP/4

Just another WordPress.com weblog

tmenegatti

Thiago Menegatti

Dedo-no-zoio

Por que o mundo é dos espertos!

Raspando o prato

Um lugar para quem gosta de comida!

%d blogueiros gostam disto: